ccs-logo

Eleições no CCS

Eleicoes Conselho de Coordenacao do CCS 2017

A eleição para escolha de representantes do Centro de Ciências da Saúde (CCS) será realizada de 4 a 6/7, nas unidades acadêmicas. São candidatos:

Categoria ADJUNTO

Chapa 1

Candidata a representante:   JULIANA REIS CORTINES (Instituto de Microbiologia)

Candidata a suplente:  FERNANDA DE AVILA ABREU (Instituto de Microbiologia)

Chapa 2

Candidato a representante:  LEANDRO MIRANDA ALVES  (ICB - Histologia)

Candidato a suplente:  SERGIO AUGUSTO LOPES DE SOUZA (Medicina)

 

Categoria ASSOCIADOS:

Candidato 1: PAUlO VACCARI CACCAVO (EEAN)

Candidato 2: LUIS MAURICIO T. DA ROCHA E LIMA (Faculdade de Farmácia)

Workshop Reprodutividade na Pesquisa Biomédica

Workshop Reprodutividade na Pesquisa Biomedica 2017

O prof. Marcel Frajblat, coordenador de Atividades com Modelos Biológicos Experimentais - CAMBE - da Decania do Centro de Ciências da Saúde (CCS), convida a todos para o Workshop Internacional sobre Reprodutibilidade na Pesquisa Biomédica, no dia 28/6, quarta-feira, no Bloco N, anexo ao prédio do CCS, tendo a seguinte programação:


13:00 – 13:15   Marcel Frajblat (UFRJ)  -  “Is there a reproducibility crisis in animal studies?”
13:15 – 14:05   Victoria Hurst (NC3Rs/Reino Unido) – “The ARRIVE (Animal Research: Reporting of In Vivo Experiments) guidelines to improve the reporting of research using animals”
14:05 – 14:55   Nathalie Percie Du Sert  (NC3Rs/Reino Unido) – “Experimental Design Assistant, a free resource from the NC3Rs to support researchers in the planning of animal experiments”
14:55 – 15:10   Coffee-break
15:10 – 15:50   Olavo Amaral (UFRJ) – “Beyond p<0.05: how can we build robust evidence from basic research?"
15:50 – 16:30   Sonia Vasconcelos (UFRJ) – “Authorship and Competition in Science and its Reward System: Challenges for Reproducibility”
16:30 – 17:00   Discussion

 

Cartaz em anezo.

Nota de falecimento

Nota de Pesar do Professor Ulysses Garcia Casado Lins 2017

A direção da Decania do Centro de Ciências da Saúde expressa manifestação de pesar pela morte do professor Ulysses Garcia Casado Lins, do Instituto de Microbiologia Paulo de Góes, ocorrida dia 14/6. Ele era responsável pelo Setor de Microscopia Eletrônica daquela unidade acadêmica vinculada ao CCS e tinha experiência na área deMicrobiologia Geral e Ambiental, com ênfase em Ecologia Microbiana, Microbiologia Ambiental e Biotecnologia. Ulysses foi graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ -, onde também fez mestrado e doutorado. Tinha pós-doutorado em Biologia Celular pelo National Institutes of Health, EUA e em Biomineralização pela Arizona State University, EUA.

BRASIL PRA QUEM

Brasil pra Quem 2017

Inserida efetivamente no processo de discussão à busca de alternativas para soluções dos problemas que afligem o país, a UFRJ dá continuidade à série de debates sob o tema BRASIL PRA QUEM, às 9 horas do dia 29/6, quinta-feira, no Auditório do CT2, na Coppe, na Cidade Universitária, na Ilha do Fundão, tendo como palestrantes Maria Trotta (Professora da Faculdade de DIreito da UFRJ) e Adriano Pilatti (Professor da PUC-Rio).

A Universidade Federal do Rio de Janeiro, dia 18/5, lançou a primeira fase da iniciativa BRASIL PRA QUEM, pretendendo intervir em temas que vão determinar o futuro da sociedade e da população brasileira. Na programação estão temas como questão indígena, mudanças climáticas globais, reforma do ensino médio, ciência e futuro, reforma trabalhista, Estado e violência. O objetivo é que, ao promover o debate, a UFRJ também cumpra sua função pública, disponibilizando conhecimentos produzidos em pesquisas e ajudando a problematizar e analisar em profundidade os grandes dilemas que o país está vivendo.

Confirme aqui sua presença e participe!

VIVA LA MAMMA

VIVA LA MAMMA 1 2017

Marcando a 20ª montagem do projeto Ópera na UFRJ, Viva la mamma tem estréia no dia 22/6, às 19h, no Salão Leopoldo Miguez, da Escola de Música, com solistas, coro e orquestra sinfônica da UFRJ. Com entrada franca e faixa etária livre, o espetáculo é apresentado na unidade acadêmica também na sexta 23/6, às19h; sábado 24 e domingo 25, às16. Depois seguirá para a Cidade Universitária, na Ilha do Fundão, (27/6) e, ainda, os teatros municipais de Petrópolis (9/7) e Niterói (14, 15 e 16/7).

Com adaptação e tradução do maestro Ernani Aguiar, a montagem conta a história de uma companhia de ópera italiana que desembarca na cidade do Rio de Janeiro em meados do século XIX. Os conflitos e brigas de ego entre os membros da companhia, narrados ao longo dos ensaios da ópera Romolo e Ersilia, que seria apresentada no teatro imperial São Pedro de Alcântara, revelam um grupo em permanente disputa.

Foto: Eneraldo Carneiro

VIVA LA MAMMA 2 2017

CORILLA e Procolo em dueto, para desespero de Mamma Agata

O espetáculo explora, de forma cômica, a realidade e os percalços do fazer operístico da época. Na companhia temos Corilla, a Prima Donna vaidosa pelos seus dotes vocais e artísticos; Procolo, seu marido, que desempenha a função de empresário particular da esposa; Biscroma, o maestro, e Prospero, o poeta, que discutem incessantemente sobre a maior importância do texto ou da partitura; Guglielmo, um tenor alemão incorporado à companhia por acaso na viagem transatlântica, sendo que este cantor diletante não compreende muito bem nem o italiano nem o português; Luígia, a Seconda Donna do grupo, novata que está fazendo a primeira tournée profissional; Dorotea, veterana que se sente menosprezada, destinada a fazer apenas papeis secundários; o Empresário, que luta para que o espetáculo aconteça apesar do caos; o Inspetor do teatro carioca, que não aguenta tanta confusão; e por fim, Mamma Agata, uma matrona italiana intrometida, convencida de sua grande experiência como artista lírica, que se infiltra na companhia com o objetivo de ver sua filha Luígia conquistar os palcos.

Originalmente intitulada Le Convenienze ed Inconvenienze teatrali (As convenções e inconvenientes do palco), Donizetti estreou a ópera completa no Teatro della Cannobiana, de Milão, em 20 de abril de 1831. Viva la mamma é considerada a mais moderna das obras do compositor. Uma ópera onde as piadas vêm uma após a outra, dando oportunidade ao autor de parodiar o estilo musical que o fez famoso. Gaetano Donizetti, ao lado de Vincenzo Bellini e Gioachino Rossini, é um dos grandes compositores do bel canto, criando obras como L'elisir d'amore, Don Pasquale e Lucia di Lammemoor.

A atemporalidade da farsa operística é, na verdade, o que torna esta ópera tão apaixonante e atual. Além de um enredo muito divertido, o público irá apreciar a brilhante música de Donizetti no auge de sua capacidade criativa. Ambientada na cena lírica da capital do Império, certamente esta montagem agradará o público de todas as idades.

Foto: Eneraldo Carneiro

VIVA LA MAMMA 3 2017

O ESPETÁCULO reúne estudantes, docentes e técnicos das Escolas de Música, Belas Artes e Comunicação da UFRJ